Carnaval Parte II - Os despojos!

Finalmente, é mau mas acaba depressa, ao contrario do Natal ou mesmo da Passagem de Ano, o Carnaval tem algo muito característico que é de um momento para o outro tudo acaba e volta ao normal, ao contrario do Natal, no Natal temos a entrega de prendas dia 24 á noite, depois o almoço ou jantar dia 25 em que normalmente se passa com o resto da família que ñ pode passar a noite anterior, e mesmo depois de dia 25, os próximos dias o espirito mantém-se, são prendas de ultima hora, prendas atrasadas ou até mesmo a compra de prendas com o dinheiro que se recebeu das prendas. Os enfeites continuam pendurados nas ruas a assinalar a época festiva e mesmo que uma das "Boas Festas" já tenha passado, continuamos a fazer votos no plural, e assim se mantêm as coisas ate á passagem de 31 para 1, mas a passagem de ano tambem não acaba aqui, normalmente divirto-me tanto na noite de 1 para 2 como na anterior que só mostra que o espirito não se esvai com a ultima badalada.

Mas até aqui tudo muito bem, adoro a passagem de ano e acho que deve ser passada em grande e o Natal é a minha época festiva de eleição, acho que realça o que as pessoas têm de melhor, e nos dias de hoje, é algo bem complicado de ver. O carnaval ao menos tem essa particularidade, começa muito tímido com os primeiros putos aventureiros que se passeiam com balões de água alertando-me que se avizinha o Carnaval que tanto odeio e escalando progressivamente numa subida bem linear, atinge o auge na 3ª feira de Carnaval em que vejo todos os meus piores pesadelos tornados realidade. Ruas fechadas para os cortejos passarem, multidões na rua que se amontoam em cima dos passeios como se fosse o Papa que estivesse a passar, é impossível encontrar um lugar para estacionar, e então hoje tive o azar de ter de ir á casa da minha tia que fica nada mais nada menos em plena avenida principal do Barreiro, podia tentar explicar-vos a luta que foi para chegar á porta do prédio, degladiei-me por um mar de gente que fluía na direcção oposta á minha... não foi bonito de ser ver!

E se por acaso na 4ª feira, algum mascarado que passou a noite na discoteca, ou adormeceu num banco de jardim depois de uns copos a mais, ou seja porque motivo for aparece na rua, os mesmos que estavam mascarados no dia anterior olham com reprovação e com a superioridade de quem diz : "Que parvoíce, carnaval já acabou!". Tenho esperança que algum dia consigam ver que mesmo quando ainda não tinha acabado já era uma parvoíce, mas enfim!

Agora vem a parte que dá o titulo ao post, os despojos e restos mortais do carnaval. As ruas ficam imundas, repletas de serpentinas, papelinhos, balões, ovos e tudo o mais que se possam lembrar, os passeios desaparecem debaixo de tanta porcaria e os funcionários da câmara urgem a ir varrer todo aquele lixo para a estrada. O problema é que entre a estrada e o passeio, estão os escoadoiros que entopem com tanto papelinho torcido e depois quando chegarem as chuvas vimos as avenidas transformadas em rios tudo graças á maravilha que é o carnaval.

Hoje, depois dos carros alegóricos passarem, eram dezenas os trabalhadores da câmara a varrer os passeios, mais um carro de limpeza que devolvia o preto ao alcatrão da estrada até então ás bolinhas multicores, mais os policias que desviavam o transito entre tantos outros! Com isto tudo chego a uma conclusão que me parece obvia e que me surpreendo por ainda não me ter apercebido antes.

O carnaval é como uma guerra... é péssimo quando acontece, mas quando acaba, dá trabalho a muita gente!

P.S. - Estou de partida para o Porto, volto na 6ª feira, não sei se vou ter possibilidades de escrever qualquer coisa enquanto tiver ausente, mas nada como uma visitinha para confirmar ;).
Free counter and web stats