Odeio o dia de hoje!

É isso mesmo, como devem ter reparado não postei ontem, isto porque ia ficar no titulo qualquer coisa como "Quarta-Feira, 16 de Junho de 2004" e esse é um dia que não existe no meu calendário... existe só o 17 de Junho e a vespera do 17 de Junho, em que já não penso em mais nada a não ser no dia seguinte, pensamentos esses que me deixam na lama, dobrando assim as 24h do pior dia do ano e transformando-as em 48h que me deixam de rastos!

Odeio este dia, odeio hoje, gostava de o puder apagar do calendário e nunca mais o ter de viver, saltar das 23:59 de 16 para as 0:00 de dia 18 e viver assim o resto da vida! Ñ que o dia seja assim tão mau, acredito que para todas as outras pessoas do mundo é um dia como tantos outros, mas todos nós temos impreterivélmente um 17 de Junho na nossas vidas, pode é ser n'outro dia de qualquer outro mês.

Tento dizer a mim mesmo que é só mais um dia, que nada muda, que não me vou tornar uma pessoa diferente de hoje em diante, que não vou pensar de outra maneira, não vou ver as coisas com outros olhos... e de facto não vou, sou o mesmo de ontem e serei o mesmo amanhã quando o dia de hoje acabar, mas o seu simbolismo dá cabo de mim, passo o dia a chorar e com um nó na garganta que me empurra as lagrimas para fora dos olhos a qualquer demostração d'afecto daqueles que me são queridos, são as 24 horas mais longas do ano que me dão a volta á cabeça e deixam o meu mundo de pernas para o ar quando penso em quem era, quem sou, em quem me queria tornar, tudo aquilo que não fiz, tudo aquilo a que me propuz fazer e tudo o resto que não foi feito.

Quando olho para trás, vejo que não sou quem outrora achava que ia ser hoje, não estou onde pensava que ia estar agora, e não levo a vida que desejava para mim, mas tou cá, e cada palmadinha nas costas do meu infindável numero de amigos que me diz que eles tambem estão cá, ao meu lado, só vem mostrar que apesar de todo o que correu mal ou menos bem, durante todo este tempo alguma coisa devo ter feito bem.

"É o ciclo da vida" diz a Xana "e não há nada que tu possas fazer para alterar isso", eu sei miss, mas custa-me custa-me tár velho, custa-me ver que estou mais proximo do fim, custa-me pensar que um dia, para o qual já faltou mais, tudo vai acabar, custa-me pensar que hei-de morrer, e que mesmo que tudo corra pelo melhor, esse dia já esteve mais longe. Não que este dia seja diferente dos outros, não que eu não envelhaça tanto hoje como amanha, mas enquanto todos os outros dias do ano me surruram "estás mais velho Zé" este atinge-me pelas costas com uma marreta deitando-me por terra, e por mais força que faça só me consigo levantar quando ele acaba e deixa de me gritar ao ouvido, e os seus berros sãos substituidos pelos zumbidos distantes murmurados por todos os outros dias do ano em que somento os ouço ao longe "estás mais velho Zé!"

Por outro lado, ainda cá estou, sou feliz, tenho os melhores amigos do mundo, o carro mais fixe a face da terra e adoro a minha vida, e mesmo que algo tenha ficado para trás no meio de tudo isto, cada segundo que passa... é uma nova oportunidade para começar de novo.

Os meus amigos, só eles permancem ao logo de todos estes anos, eles, e esta musica, aquela que todos os 17's de Junho atenua a minha dor... podia deixar-vos a letra, mas é enorme e o post já vai longo... eu deixo amanhã, quando tudo tive passado, hoje essa musica é só minha!
Free counter and web stats