4 people away.

O Sousa, sempre o Sousa, dá-me a conhecer as mais inacreditáveis estórias, acontecimentos ou estatisticas que não lembra a ninguem, o ultimo dado estatistico que ele me deu a conhecer foi de que estatisticamente todas as pessoas do mundo estão a 4 pessoas de distância.

Ora bem, como é que isto funciona? É muito simples, seja que pessoa for, esteja ela em que lugar esteja no mundo, já esteve no mesmo sitio, ou se cruzou, falou ou efectivamente conhecer alguem que por sua vez conhece alguem, que conhece alguem ... eu me conhece a mim!

Parece complicado, mas se eu pegar num exemplo práctico a coisa é muito mais simples.

Para eu por á prova esta teoria escolhi pessoas que eu não conheço, nunca vi na vida mas que teem algum protagonismo social, por exp. o primeiro ministro Santana Lopes.

Pois bem, quando eu ia ver os jogos do Sporting a alvalade nos convites para camarotes, quem se sentava ao meu lado era o filho do Santana Lopes que como é obvio, conhece o pái! Ou seja, no caso do 1º ministro não estou sequer a 4 pessoas de distância.

Vamos fazer o mesmo teste com o Presidente da República... well, o Bruno, meu tio por afenidade é filho do embaixador de Portugal no Zimbabue, e o Sr. Embaixador lá está, conhece o Dr. Jorge Sampáio.

Bem, nestes casos não chego a estar sequer a 4 pessoas de distância, mas os exemplos tambem eram acessiveis, vamos complicar as coisas... O Presidente dos Estador Unidos, Jorge W. Bush. ... Bem... eu sou amigo da Vânia, que vive em Washington e cujo pái trabalha no Pentagono, logo, o pái da Vania há.de conhecer alguem que conhece o Presidente dos Estados Unidos, voilá, Vania -> Pái da Vania -> Alguem do Pentágono -> Jorge W. Bush.

It works... wierd hein!? ;)

Home Is Where Your Heart Is!

A Joana vái mudar de casa, os pais dela compraram um apartamento novo no fundo da rua onde ela vive, a diferença em termos geográficos é minima, coisa de uns 50 metros de diferença, mas quando se muda de casa, o impacto geográfico é de longe o mais negligênciavél!

Ela em tom depreciativo que eu é que sou demasiado sentimentalista e apegado a tudo o que diz respeito ao meu passado, tenta, inutilmente fazer.me querer de que estou errado em ser assim e que para melhor se muda sempre... mas... e se não houver melhor no mundo!?

Pois é, a casa da minha avó Nita, foi a minha 1ª casa, foi lá que vivi com os meus páis e a minha avó antes de Inês nascer, quando ela veio ao mundo, as 3 assoalhadas começaram a ser pequenas e foi quando me mudei para o prédio onde vivo á 21 anos, mas a casa da avó nita foi, é e há-de sempre ser a minha verdadeira casa segundo a defenição de casa é onde o coração está.

Nem só a casa, tudo o que lhe diz respeito é um viajar no tempo para a minha infância, a rua, os amigos, a descida asfaltada de novo em que desgastei a sola dos meus ténis novos a descer a rua sentado no skate a travar com o calcanhar, a baliza pintada a spray na parede no parque de estacionamento, as quadrados da cirumba desenhados no chão, o campo de futebol nas traseira, o vidro ainda partido da marquisse do velho que nos roubava as bolas de futebol, podia divagar para sempre tantas nãos são as recordações que guardo "da minha rua".

Mas se muitas são as recordações da minha rua, muitas mais são as recordações da minha casa, desde os meus primeiros passos e mesmo antes deles, enquanto andava de andarilho e passava a vida a partir a cabeça... what can I say :P sempre fui amante da velocidade :D... As corridas de natal com carros feitos de lego onde toda a gente entrava, a corria consistia basicamente em partir da porta do quarto da avó, ir até á sala, dár uma volta á mesa de jantar e voltar para trás, normalmente era o meu pái que ganhava, mas era porque roubava peças dos nossos carros, o meu primo Duarte nunca chegava a acabar um corrida, inventava sempre um bolide super especial que se desfazia contra a parede do corredor, ou o dia em que ia arrancando o polegar ao Duarte quando o entalei na porta da varanda, quando inventámos a bomba Ovo kinder-Surpresa que atestámos de fósforo, as guerras com os blocos de esponja com papeis colados no tubo do aspirador a simular metrelhadoras, o canário João a esvoaçár pela casa.

Como o tempo corre, a vista do parapeito da janela tem vindo a mudar ao longo do anos, prédios cairam, outros nasceram no lugar deles, os carros que se vão multiplicando como coelhos, as putos que vão crescendo, os velhotes de sempre que vão morrendo, o ciclo da vida que vái seguindo o seu curso com o passar dos dias, a vista do parapeito pode ir mudando, mas o parapeito da janela do quarto é o mesmo, a casa é a mesma, e nós, mesmo mais velhos, somos os mesmos... na casa, morada do coração de todos nós.

“Home is not where you were born, but the place you were the happiest”.

PhotoBlogs

Mil desculpas a todos aqueles que por aqui teem passado e encontrado o blog por actualizar. Aquele trabalho horrivel prolongou-se por mais uma semana, e aquilo que era para durar 4 dias ... já vái em 6 a semana passada e mais 2 dias desta semana, supostamente há.de agora durar até ao fim desta semana, e quando acabar fico feliz por me vir embora... caso contrário e tenhamos de ficar lá até ao fim do mês, verdade seja dita, vou odiar aquilo durante 1 mês, mas a semana passada comprei duas baquects para a minha menina e então as minhas finaças ficaram um bocado desfalcadas, e trabalho até ao fim mês vinham de novo equilibra-las.

De facto odeio aquele trabalho, mas recentemente tenho me deparado com algo que começa a irritar-me fortemente... uma praga de fotoblogs!

Agora parece que é moda ter um photoblog, sinceramente eu acho dificil arranjar um tema interessante q.b. para escrever no meu "one and only" blog... quanto mais arranjar um tema para escrever no blog e outro para o fotoblog, mas se são capazes de manter ambos com temas e topicos cativante, acreditem que teem todo o meu respeito, aparentemente teem uma vida bem mais emocionante que a minha replecta de aventuras que podem relatar.

O pior é que não é nada d'isso que eu tenho visto nos Photoblogs, antes de mais não percebo o que é que leva alguem que não tem um blog a ter um photoblog! HELLO... pa que é que querem um photblog.... se podem por fotos no vosso blog? Aliás, acho que num fotoblog só se pode por uma foto por dia, enquanto num blog metes as que bem enterenderes... mas adiante!

Isso nem é o que mais me incomoda nos fotoblogs em que tenho tropeçado, aquilo que começa mesmo a entrar-me no sistema nervoso é ver fotoblogs atras de fotoblogs onde as unicas imagens que aparecem são fotos dos autores dos blogs, meaning consegues ver trinta fotos da mesma pessoa um dia com uma camisa lilás, outro dia comum casaco castanho, e o melhor de tudo, são gente tão despromovida de interesse que grande parte das vezes não escrevem nada digno de se ler, ou nada mesmo! Conclusão, teem um fotoblog para mostrarem 1000 fotografias deles desfilando penteados e guarda roupa quando, ou os rapazes frequentemente em tronco nu a expremerem-se todos para que qualquer musculozito que possa existar, salte á vista. Pois bem meus queridos, tomem nota desta aqui... vocês não são assim tão giros, vocês não são assim tão sexys, vocês não são de todo fotogenicos o suficiente para dia após dia porem uma foto (vossa para variar) num fotoblog.

E agora a parte ridicula da coisa... começo a ver o mundo dos blogs e fotoblogs que a inicio tanto admirei a tornar-se num antro de engates, que mais me lembra o SexAppeal do Clix em que fotoblog atrás de fotoblog vejo mensagens de miuditas a entrar na puberdade a deixar o comentário no fotoblog dum chavaleco que ainda nem faz a barba do genero "eX mTo FofInHux, PaXa nO mEu fLoG e DiX kk Xena, BjUfAs FoFitaS*",e quando este efectivamente lá passa (que passa) encontra um fotoblog da pitazita em 1001 poses convencida que é um estouro de mulher capaz de fazer qualquer rapaz cair por terra.

Aprendam que o silência é uma virtude, quando atraves dele se evita dizer ou ouvir uma idiotice! Silencio é ouro... e a menos que tenham algo mais valioso a dizer... não digam nada, principalmente quando uma imagem é suposto valer 1000 palavras!

Two thumbs up!

There... cheguei agora a casa vindo do Monumental Saldanha, onde para muito espanto meu é dos poucos cinemas com o "Antes do Anoitecer" em cartaz.

Nunca tinha ido ao Monumental, mas gostei que não tivessem acendito as luzes antes do fim dos créditos, ahhh e teem lugares marcados, Ufff.. só fica mesmo a faltar o intervalo, oh well, nada é perfeito! Se bem que tambem fiquei com a ideia de que passa por lá muito cinema alternativo e independente e menos blockbusters que o normal, o que tambem é bom, tirando o aglomerado de pseudo.intlectuais com look á militante do Partido Comunista Português vestidos com roupas compradas em 2ª mão!

O filme... só tenho a dizer que valeu os 9 anos de espera ;)

Absurd... or maybe not!

"What does it mean "the right one", "the love of you life"... the concept is absurd, the idea that you can only be complete with another person, is evil!!"

Or maybe we are just like pieces of a puzzle made to match each other... and one alone, just doesn't make any sense!

Before Sunset

Nine years ago two strangers met by chance and spent a night in viena that ended before sunrise... they're about to meet for the 1st time since... now they have one afternoon to find out if they belong together.

What if you got a second chance... with the one that got away...?

Before Sunrise

"- Olá, o meu nome é João, eu sei que nem nos conhecemos nem nada mas... és a mulher mais bonita que já vi na vida... queres casar comigo?
- Está bem!"

Provávelmente já viram esse anuncio que eu acho que está simplesmente genial, de facto era bom que tudo fosse assim tão simples, quantas e quantas vezes numa noite de discoteca não trocamos olhares e sorrisos com aquela que podia bem ser a mulher dos nossos sonhos e não tivemos coragem para ir falar com ela, quantas a quantas vezes não voltámos á mesma discoteca semana após semana na esperança de a voltar a ver sem sucesso, quantas a quantas noites não pensámos em como a nossa vida teria sido diferente se tivessemos tido a coragem que faltou naquele instante, se tudo fosse tão facil como no anuncio... mas ás vezes até é... nem que seja só no cinema!
"Before Sunrise" ou "Antes do Amanhacer" conta-nos a estória de um rapaz e uma rapariga que se conhecem num comboio a caminho de Viena, simpatizam de imediato um com o outro e pode-se mesmo falar e amor á primeira vista para aqueles que acreditam nisso, mas Viena, paragem de Jesse (Ethan Hawke) até ele convidar Celine (Julie Delpy) para sair com ele, e passar o resto da tarde e a noite com ele em Viena e apanhar de novo o comboio do dia seguinte, consegue persuadi-la falando-lhe exactamente do mesmo que vos disse em cima, fazendo-a imaginar a sua vida daqui a 20 anos num casamento infeliz e a olhar para trás e pensar em como a sua vida teria sido diferente se tivesse saido do comboio com aquele americano simpático em Viena á 20 anos atras, ou se ele se acabar por se revelar um idiota daki a 20 anos quando olhar para o seu casamento infeliz terá sempre algum conforto em saber que a alternatica era o idiota do comboio para Viena e se aperceber que está melhor assim.

Duma maneira ou d'outra acaba por a convencer (diga-se que tambem não foi preciso muito) e acabam por passar os dois um fim de tarde e a noite em Viena até ao comboio da manhã seguinte, e é como se testemunhasse-mos o encontrar de duas pessoas que nasceram para estár juntas numa sintonia que nós fáz sonhar com algo identico... quando a manhã chega e com ela o comboio de Celine, parte-nos o coração ve-la partir, numa derradeira tentativa de que a paixão de ambos não ficasse por ali, decidem voltar ao mesmo local dali a um ano e é assim que o filme acaba. Nada de tiroteios, nada de perseguições ou qualquer tipo de acção, apenas a sintonia entre duas peças de um puzzle que só ficam bem juntas.

Para terem uma ideia de algo identico bem mais recente, faz-me recordar o diálogo do taxista e a advogada no inicio do "Colateral", a unica diferença é que enquanto aquela dura 5 minutos, o Antes do Amanhecer prende-nos ao ecran durante todo o filme.

O filme foi feito em 1995, e o ano seguinte do reencontro acabou por nunca chegar visto que nunca foi feito uma sequela, até agora...

Another day... Another battle.

Por incrivel que pareça... por incrivél que pareça, não há nada, não há nada... que não me aconteça!

A letra é tirada duma série de desanhos animados que eu via á uns 20 anos atrás, eles viviam numa arvore e um deles que me lembro em particular só sabia dizer... "osóiotóio", penso que se chamava "Os Agapitos" mas sinceramente já nem me lembro bem do nome, o que é certo é que a musica parece que foi escrita para mim, porque algo de banalissimo como ir por gasolina no carro, pode acabar por se revelar uma grande aventura.

É por estas e por outras que eu não acordo cedo, eram 7 e pouco da manhã e era suposto ir ter com a Tânia a Coina, para ir com ela para Lisboa para enquanto ela tivesse nas aulas, levar o TT á AutoPamplona para montar a DumpValve, mas tinha o meu carro "running on vapors" e achei melhor meter gasolina antes de ir ter com ela.

Páro na BP da Quinta da Lomba á saida do Barreiro, e dirigo-me ao quichet para pagar, entrego 10euros á mulherzinha da caixa e ela pergunta-me, "Bomba 2?" ao que eu que tinha parado o carro na bomba quatro digo "Não, bomba 4!" e lá vou eu meter gasolina na minha menina d'olhos azuis. Chego ao carro, e começo a meter a abastecer, aqueles 10euros pareciam nunca mais terminar, e não fosse eu olhar para o indicador do total a pagar e ainda hoje lá estava a meter gasolina, a conta já ia em 20,09euros e quando vejo isto, largo a mangueira e vou até lá dentro e digo.

"Desculpe, eu tinha.lhe dito 10euros... mas a senhora não deve ter feito a pre.marcação e agora que reparei já vái em 20euros"

A senhora da caixa, respondeu logo, "Disse-me bomba 2! Agora vái ter de pagar os 10euros que faltam, ou paga agora, ou se não tiver vêm cá pagar depois, mas não vai andar por ai com gasolina á minha conta!"

Isto dito d'outra maneira, duma maneira, sei lá, mais humilde de quem se havia enganado na marcação da bomba e pedindo-me desculpa pelo engano e perguntado amabilmente se eu não me importava de pagar o excedente... provávelmente até tinha funcionado, mas não, tinha de ter a mania que era esperta!

É obvio que eu lhe disse que, se lhe tinha ido dár 10euros era porque não queria, não me interessava, ou não podia meter mais gasolina, neste caso era mesmo não queria e disse.lhe categóricamente que não ia pagar o excedente uma vez que o erro tinha sido dela em autorizar o meu abastecimento na bomba 2 quando lhe dei os 10euros e de seguida autorizar outro abastecimento meu quando levantei a mangueira da bomba 4, e visto que eu não tinha de sair prejudicado pelos erros dos outros, neste caso, o dela, não paguei!

Não demorou 10segudos até ela muito confiante dizer... "não tem problema nenhum, chama-se já a policia!" e eu... tudo bem! Bring on the Cops! Lá esperei mais uns 5 minutos que a policia chegasse e quando chegou, ouvio a minha versão e a da mulher que agora insistia que eu tinha dito bomba 2! Até pedi para se verem as filmagens, mas aparentemente estas não gravam audio. A policia pediu os meus dados e disse-lhe que era um assunto entre nós e que ela (policia) nada podia fazer! Foi mais ou menos nesta parte que a mulher ligou para uma oficina para pedir a um mecanico que lá fosse tirar-me o excesso de gasolina do depósito, prontificando-se a pagar o serviço e a deslocação... a gasolina é que não havia de lá ficar de maneira nenhuma, suponho que devo mesmo ter caido nas boas graças da mulherzinha hein :|

O mecanico disse que ia demorar 2h até puder mandar lá alguem fazer isso, mas que se eu me deslocasse á oficina era rápido! A empregada da bomba de gasolina desligou e antes que ela acabasse de suspirar já eu lhe tinha dito "Obvio está que o meu carro não vai andar 1 metro na direcção seja de que oficina for! Não vou gastar da gasolina que efecitvamente paguei para ir a uma oficina tirar aquela que por um erro seu lá está!"... e nisto já se havia passado uma meia hora, quando eu tinha dito deste antes de se chamar a policia que tinha 15 minutos para resolver a situação!

Pouco tempo passou desde o desligar do telefona para a oficina, voltar a perguntar á policia o que é que eles podiam fazer, que a mulher se apercebeu que não tinha maneira de sacar os 8 ou 9L de gasolina a mais que eu tinha posto... imprimiu-me o talão dos 20euros e disse-me "Tome lá o talão dos 20euros, e vá-se embora, mas não se esqueça disso!"... confesso que até me pareceu uma ameaça, mas decidi ignorar!

Aproximei-me e disse-lhe, "tinha sido tudo muito mais facil se me tivesse pedido gentilmente para pagar os 10euros que faltavam e admito desde o inicio que se tinha enganado, pois como pode ver, se não partisse de mim pagar o que faltava, não tinha maneira de os ter de volta, e pelo caminho ainda chamou a policia unica e exclusivamente para ver se me assutava? Como vê não resultou! A unica coisa que devia ter mudado desde o inicio de toda esta situação, era só a sua atitude!" e fui-me embora!

... em cima do balcão deixei os 10euros que faltavam!

Parabéns!

Já sei que este vái ser um daqueles posts complicados de digerir, provávelmente por este como uns quantos outros que já escrevi dizem demais de mim.

Nem sei como é que hei-de começar, podia ser com um "Parabens Amor" mas já não és o meu amor, és, sabes que és, mas oficialmente o direito que tinha de assim te chamar expirou no dia em que te disse que não queria mais tudo aquilo que tinhamos juntos.

Podia começar com "Parabens amiga" mas não consigo ainda, no fundo sei que nunca conseguirei olhar para ti como para todas as outras e fazer de conta que és igual, não és, és especial, e por isso mesmo me custa ver cada dia que passa nos deixa um dia mais longe daquilo que outrora fomos um para o outro, que erradamente ainda somos.

Mas o tempo passa, e mesmo que ache cá dentro que mais dia menos dia vái a chama que ainda arde por ti consuma o ar que á dentro de mim e se extinga, e que uma vez apagada, eu abra de novo as portas do meu coração e deixe ár novo entrar, ar que me pegue ao colo e me leve para os braços de uma outra qualquer... a chama não cede e teima em consumir tudo aquilo que pode acabando por me consumir a mim tambem.

Podia dizer "acabou, está acabado e eu vou seguir em frente" mas não consigo, e se é dificil dize-lo muito mais custa faze-lo, os braços das outras por que passei desde que os teus deixei, não me abraçam com a ternura dos teus, não me prendem com a força dos teus, e acabo sempre por voltar a ti.

Estou errado, eu sei que estou errado, sei que fiz bem em por um termo naquilo que tinhamos, magoáste-me e pior que me magoares foi o ires-me magoando dia após dia durante o par e meio de anos em que fui teu, a decisão foi minha, mas a culpa foi tua e ambos sabemos isso bem demais, e ainda assim volto!

Revolta-me não te conseguir esquecer, quero seguir com a minha vida e achar alguem que me encha as medidas, como tu enchias, que me faça feliz, como tu fazias, que diga me me ama, como tu dizias, que entenda quem sou, como penso, e o quê e o porquê de tudo o que faço, como tu entendias, que perceba o que eu digo mesmo quando estou a bocejar, como só tu percebias!... mas não te quero a ti! e não consigo!

Penso todos os dias em dizer-te "vamos tentar outra vez, famos fazer com que dê certo agora" mas não quero, e o meu orgulho não me deixa, e aterroriza-me pensar que se fizer isso, estou a dizer a mim mesmo "não consigo mais passar sem ela", o que é provávelmente verdade, mas quero ser hipócrita e fingir que não sei aquilo que tenho tatuado no coração, tenho 23 anos e não quero encontrar já aquela com quem quero ficar o resto da vida, mesmo que esse alguem sejas tu! Até lá quero "Amar amar perdidamente, amar só por amar aqui e alem, mais esta aquela a outra e toda a gente, amar amar... e não amar ninguem" e quando me fartar, quero em ti parar... e ficar, mas não agora, não tão cedo!

Não é de longe a melhor prenda do mundo, mas é sincera, e como hoje, e como sempre, sabes que em mim, podes sempre confiar! Sabes que comigo, podes sempre, mas sempre contar.

Parabéns "Amor"

Diz-me com quem andas... e eu digo-te quem és!

Tál como uns minutos antes tinha dito á minha querida Cumplice, a mesa do café é de longe a melhor fonte de inspiração para o meu blog, mesmo que a minha mente seja um deserto, 10 minutos de conversa com o gang do costume é matemático que algum tema há-de surgir para eu mais logo ah noite dissecar, mesmo que o tema seja a quantidade de parvoíce que discutimos!

E é mesmo assim, discutimos muita parvoíce, muita coisa sem nexo, muita conversa de gajo sobres... well... gajas! E muito esporádicamente temos efectivamente uma conversa de jeito que até para um outsider do grupo fáz sentido... mas é mesmo mais a parvoice, as cenas sem nexo e... claro está as gajas!

Hoje nenhum sumo se expremou da conversa de café, a não ser muitas gargalhadas, muito riso e um par de horas a passar num piscar de olhos, e mesmo que as nossas conversas não sejam sempre intlectuais q.b o que é certo é que adoro aqueles gajos!

Honest, adoro aqueles gajos, e adoro estar com eles e, adoro quem sou com eles, e é aqui que as duvidas surgem!

É um facto que adoro o meu grupo d'amigos, adoro estar com eles e saio de lá com um sorriso de satisfação de quem passou umas horas na companhia dos melhores amigos do mundo, sem se preocupar com aquilo que diz, com o politicamente correcto ou se dizer isto ou aquilo parece mal, junto deles, encontram-me no meu estado mais puro... mas... será que encontram mesmo!?

A duvida tem me feito pensar já de há uns tempos para cá, como é que eu sei que seria o mesmo com um grupo d'amigos diferente, pensaria as mesmas coisas, agiria da mesma maneira se aqueles que me rodeam fossem pessoas completamente diferentes, e até que ponto não seria eu alguem mais proximo daquilo que era suposto ser, na mesa do café ao lado, quem sou eu, ou quem é que é suposto eu ser?

Agora que penso nisso, tem mais que se lhe diga que aquilo que parece, é como que tirado duma cena do Matrix...

Oracle : I'd ask you to sit down, but, you're not going to anyway. And don't worry about the vase.
Neo : What vase?
[Neo vira-se á procura dum vaso, e assim que o fáz, derruba um vaso com flores, que cái contra o chão]
Oracle : That vase.
Neo : I'm sorry...
Oracle : I said don't worry about it. I'll get one of my kids to fix it.
Neo : How did you know?
Oracle : Ohh, what's really going to bake your noodle later on is, would you still have broken it if I hadn't said anything?

E é tudo isso, ñ consigo dizer se seria uma pessoa diferente com amigos diferentes, ou se no fundo a minha essencia seria a mesma e era apenas um tipo incompreendido num grupo d'amigos diferente, e se fosse efectivamente uma pessoa diferente, até que ponto não seria eu alguem mais proximo do verdadeiro "eu" se é que existe um "eu" que é susposto eu ser... ARGHHHHHHHHHH!!!!!

Esqueçam é impossivel dissecar sobre isto, é muito mais facil chegar a uma conclusão sobre o "Ovo e a Galinha", mas que dá que pensar... lá isso dá!

Times Change.

É incrivel como em coisas que não nos dizem nada de especial, conseguimos seguir uma linha de raciocinio a algo que é especial ou importante para nós.

Do genero... "Arroz Doce... Doce... Som... Worten", foi algo do genero que me aconteceu a ver hoje o American Pie 2, numa das partes perto do fim do filme, o Kevin diz...

"My brother said by the end of the summer I'll get the big picture. And I see it. No matter what, times change, things are different. But the problem is, I don't want them to be."

... que me trás á memoria uma quote do meu "all time favorite" Sexo e a Cidade em que a Carrie escrve...

"Maybe our mistakes are what make our fate. Without them, what would shape our lives? Perhaps if we never veered off course, we wouldn't fall in love, or have babies, or be who we are. After all, seasons change. So do cities. People come into your life and people go. But it's comforting to know the ones you love are always in your heart. And if you're very lucky, a plane ride away."

... que por sua vez me faz lembrar a conversa que tive co Muckey sobre os provérbios que nos deixavam tristes!

E sim, é complicado perceber como é que algo de tão absurdo como provérbios que 90% das vezes não fazem o minimo sentido ou, no meio de tudo, ainda arranjamos uns que contradizem outros, nos podem deixar abatidos.

Mas é isso tudo, não vos consigo dizer com precisão como é que é a versão do provérbio "Candeia que vái á frente, alumia duas vezes" que entristece o muckey, mas era algo do genero "Candeia que incendeia vái duas vezes á aldeia!" foi o Luís que disse, nos ultimos dias de vida quando já não sabia muito bem o que dizia.

A mim, mais importante que o provérbio, é o modo como até ele cheguei.

Á muitos anos atrás numa pura navegação pela net em que andava literalmente á deriva, tropecei na pagina do "Tretas" era assim o nome do autor da pagina que era tão banalissima como qualquer outra pagina pessoal, como que os primórdios dos blogs, lá nos dizia como ele era, daquilo que gostava de fazer e quem eram os seus amigos. No meio dos amigos estava o link para a pagina do "Bu" e para o "World Of Bu", http://worldofbu.cjb.net estranho como até hoje me recordo da pagina, hoje é só, como um dia tambem este blog há-de ser, um broken link da net. Confesso que a pagina do "Bu" me sensibilizou bem mais que a do Tretas, identificava-me muito mais com ele, e em tudo aquele que ele dizia, tal não é que já cá usei expressões que inicialmente lá li como "no tempo em que os telemóveis era ficção cientifica" ou "tenho saudades de me deitar entusiasmando com algo importante para fazer no dia seguinte" que traduzem com um incrivel rigor muito daquilo que sinto.

Tal como na pagina do "Tretas", tambem o "Bu" tinha um link com os amigos em que nos dava a conhecer um a um com a mais pura das descrições e a imagem que ele tinha deles, lembro-me dele falar com especial carinho de um cujo nome não me recordo, mas lembro-me de ele dizer "custa-me que as opções de cada um nos tenham afastado um do outro... mas os cães ladram e a caravana passa".

E foi assim que "Os cães ladram e a caravana passa" se tornou no provérbio que mais me entristece, aquele que me diz que independentemente dos nossos titanicos esforços para congelar o tempo nossa "happiest hour"... "seasons change. So do cities. People come into your life and people go. But it's comforting to know the ones you love are always in your heart. And if you're very lucky, a plane ride away."

Nós que nos unem.

Desde muito cedo que uso gravata, não quero exagerar mas acho que desde os meus 3 anos de idade por obrigatoriedade do uniforme do colégio que todos os dias de segunda a sexta usava gravata.

Há coisas que não se perdem, e como tal, sempre gostei de andar de gravata, era provavelmente o unico tipo da minha escola secundária que ia pás aulas de gravata. Adidas, calças largas, camisa branca e gravata um dos trajes tipicamente meus.

Como tal, á muito que sei dár nós de gravata o que não era propriamente vulgar num rapaz da minha idade, tanto que não é que acho que mais nenhum dos meus amigos sabe dár o nó numa gravata, como é o caso do CoLT, e embora nunca tenha visto nenhum dos outros de gravata, o CoLT até o vejo bastantes vezes, com o nó da gravata, lá esta, sempre feito por mim!

De tempos em tempos, sempre que uma gravata vai pa lavar, ou o nó já foi subido e descido tantas vezes que já não se parece com nada, lá vem o CoLt ter comigo de gravata na mão para eu lhe dár o nó antes de um "By Night" para uma disco qualquer. Estou certo que era muito mais facil eu ensiná-lo a fazer o nó e ele deixar de depender de mim para estas insignificâncias, mas, por outro lado, não vou a ládo nenhum e hei-de estár sempre por perto para dár os nós que forem precisos nas gravatas daqueles meus irmãos de outros pais, aqueles que podem sempre contar comigo, aqueles com quem eu posso sempre contar para outros quaisquer nós que eu não sáiba fazer... nós... que manteem esta nossa segunda familia, que por vezes é mesmo uma primeira... unida!
Free counter and web stats