Diz-me com quem andas... e eu digo-te quem és!

Tál como uns minutos antes tinha dito á minha querida Cumplice, a mesa do café é de longe a melhor fonte de inspiração para o meu blog, mesmo que a minha mente seja um deserto, 10 minutos de conversa com o gang do costume é matemático que algum tema há-de surgir para eu mais logo ah noite dissecar, mesmo que o tema seja a quantidade de parvoíce que discutimos!

E é mesmo assim, discutimos muita parvoíce, muita coisa sem nexo, muita conversa de gajo sobres... well... gajas! E muito esporádicamente temos efectivamente uma conversa de jeito que até para um outsider do grupo fáz sentido... mas é mesmo mais a parvoice, as cenas sem nexo e... claro está as gajas!

Hoje nenhum sumo se expremou da conversa de café, a não ser muitas gargalhadas, muito riso e um par de horas a passar num piscar de olhos, e mesmo que as nossas conversas não sejam sempre intlectuais q.b o que é certo é que adoro aqueles gajos!

Honest, adoro aqueles gajos, e adoro estar com eles e, adoro quem sou com eles, e é aqui que as duvidas surgem!

É um facto que adoro o meu grupo d'amigos, adoro estar com eles e saio de lá com um sorriso de satisfação de quem passou umas horas na companhia dos melhores amigos do mundo, sem se preocupar com aquilo que diz, com o politicamente correcto ou se dizer isto ou aquilo parece mal, junto deles, encontram-me no meu estado mais puro... mas... será que encontram mesmo!?

A duvida tem me feito pensar já de há uns tempos para cá, como é que eu sei que seria o mesmo com um grupo d'amigos diferente, pensaria as mesmas coisas, agiria da mesma maneira se aqueles que me rodeam fossem pessoas completamente diferentes, e até que ponto não seria eu alguem mais proximo daquilo que era suposto ser, na mesa do café ao lado, quem sou eu, ou quem é que é suposto eu ser?

Agora que penso nisso, tem mais que se lhe diga que aquilo que parece, é como que tirado duma cena do Matrix...

Oracle : I'd ask you to sit down, but, you're not going to anyway. And don't worry about the vase.
Neo : What vase?
[Neo vira-se á procura dum vaso, e assim que o fáz, derruba um vaso com flores, que cái contra o chão]
Oracle : That vase.
Neo : I'm sorry...
Oracle : I said don't worry about it. I'll get one of my kids to fix it.
Neo : How did you know?
Oracle : Ohh, what's really going to bake your noodle later on is, would you still have broken it if I hadn't said anything?

E é tudo isso, ñ consigo dizer se seria uma pessoa diferente com amigos diferentes, ou se no fundo a minha essencia seria a mesma e era apenas um tipo incompreendido num grupo d'amigos diferente, e se fosse efectivamente uma pessoa diferente, até que ponto não seria eu alguem mais proximo do verdadeiro "eu" se é que existe um "eu" que é susposto eu ser... ARGHHHHHHHHHH!!!!!

Esqueçam é impossivel dissecar sobre isto, é muito mais facil chegar a uma conclusão sobre o "Ovo e a Galinha", mas que dá que pensar... lá isso dá!
Free counter and web stats