Nós que nos unem.

Desde muito cedo que uso gravata, não quero exagerar mas acho que desde os meus 3 anos de idade por obrigatoriedade do uniforme do colégio que todos os dias de segunda a sexta usava gravata.

Há coisas que não se perdem, e como tal, sempre gostei de andar de gravata, era provavelmente o unico tipo da minha escola secundária que ia pás aulas de gravata. Adidas, calças largas, camisa branca e gravata um dos trajes tipicamente meus.

Como tal, á muito que sei dár nós de gravata o que não era propriamente vulgar num rapaz da minha idade, tanto que não é que acho que mais nenhum dos meus amigos sabe dár o nó numa gravata, como é o caso do CoLT, e embora nunca tenha visto nenhum dos outros de gravata, o CoLT até o vejo bastantes vezes, com o nó da gravata, lá esta, sempre feito por mim!

De tempos em tempos, sempre que uma gravata vai pa lavar, ou o nó já foi subido e descido tantas vezes que já não se parece com nada, lá vem o CoLt ter comigo de gravata na mão para eu lhe dár o nó antes de um "By Night" para uma disco qualquer. Estou certo que era muito mais facil eu ensiná-lo a fazer o nó e ele deixar de depender de mim para estas insignificâncias, mas, por outro lado, não vou a ládo nenhum e hei-de estár sempre por perto para dár os nós que forem precisos nas gravatas daqueles meus irmãos de outros pais, aqueles que podem sempre contar comigo, aqueles com quem eu posso sempre contar para outros quaisquer nós que eu não sáiba fazer... nós... que manteem esta nossa segunda familia, que por vezes é mesmo uma primeira... unida!
Free counter and web stats