Acordar sem ti...

Tou cansado, exausto, morto! Cheguei a casa e a primeira coisa que fiz foi correr para o duche, um duche quente, e que saudades que eu tinha disso, não que me esteja a queixar dos duches de "Enxaguamento Final" na lavagem automática de S.Téotónio, pelo contrário, têm o seu encanto, mas a minha banheira tambem tem os dela, principalmente o que dá pelo nome de esquentador.

Saiu do duche e não tenho de atravessar um mar de pó para chegar ah tenda, nem tremer ao longo do caminho com a brisa que me faz arrepiar, já não tenho de dár os pequenos passos que a toalha enrolada ah cintura permite, aqui visto o roupão turco e vou para a sala jantar... sim, comida a sério!

Comida a sério! Feita ao lume, nada de embalados, conservas, ou papa daquilo que outrora foi fruta, hoje jantei arroz de pato acompanhado por rodelas de laranja e ajudei com Pepsi Twist.... COM GELO! O Gelo, essa especiaria rara em terras da Zambujeira.

Agora vou-me deitar, na minha caminha feita de lavado á minha espera, bem mais fofinha que o chão da Herdade da Casa Branca, sem pó nem gritos "Indios", com a luz da televisão a fazer as vezes da lanterna, mas por mais apelativa que isto possa ser, não tás lá para te aninhar de mim e me roubar o meu lado do saco.cama, não tás lá para adormecer com a minha mão apertada junto ao peito e o meu braço torcido obrigando.me a dormir em posições estranhas e desconfortaveis e mesmo assim com o sorriso que tanto adoras nos lábios. Não durmo, mas acordo radiante da vida por te ter ao meu lado. Vou.me agora deitar na minha cama fofinha, mas não tás lá para me acordar, dizer "Bom dia querido" e dares sentido ao meu dia quando os teus olhos são a primeira coisa que consigo focar ao acordar, e dito isto, a minha cama fofinha não é tão apelativa assim, quando tenho de acordar sem ti.
Free counter and web stats