Our beloved monsters and us...

O telemóvel tocou 20 minutos antes das 4 da manhã, um numero que eu não conheço e estranho que poderá ser que me telefona a hora tão tardias. Atendo e do outro lado uma voz tremula pergunta se eu sei quem fala, eu digo não faço sequer uma pequena ideia, e ele responde... "ia contigo para o Porto" e eu respondo, és o Eu!

O "Eu", era esse o nick do Nuno e assim que todos nós o chamávamos, "Eu", ele namorava com a Cristina na mesma altura em que eu namorava com a Marta, elas eram colegas, as meninas acabaram por apresentar uma á outra o "namorado de Lisboa" e foi assim que eu conheci o Eu. Era costume eu e o Eu metermo-nos no comboio ao fim da tarde de sexta feira e ir ter com elas para passar o fim-de-semana, e voltar juntos para baixo ao fim do dia de Domingo.

Ele dizia para eu parar de chorar quando o comboio vinha embora, eu dizia para ele parar de chorar quando o comboio vinha embora, e as nossos amores ficavam para trás. Ora bem, emocionalmente falando, tudo isto se passou aquilo que parece ser um milhão de anos atrás numa outra vida que já foi a minha, cronologicamente falando, foi á 7.

Depois de Marta, depois da Cristina, depois dessa minha outra vida chegar ao fim, poucas foram as vezes que vi o Eu, lembro-me de o encontrar uma única vez por acaso no Rockline e de o abraçar como se fosse o meu amigo de infancia que não via á 10 anos! Soube que ele era da turma duma amiga minha aqui do Barreiro, e sempre que a via pedia-lhe para mandar um abraço meu ao Eu, o Eu que tinha um ombro amigo sempre que o comboio partia de Campanhã.

Hoje ligou-me, á 20 minutos atrás, e a voz tremia como das vezes em que eu lhe dizia para não chorar por ela, que voltávamos pá semana, e que ia passar depressa! "Precisava de falar com alguém, lembrei-me de ti, já passamos tanta coisa juntos" e contou-me o que o perturbava. Típico de quem fazia 700km's de comboio todos os fins de semana por amor, típico dele, típico meu, incuráveis românticos eternamente apaixonados, o problema era uma rapariga, uma ex-namorada, um amor, O AMOR do Eu, com quem acabou á dois anos e de quem não consegue mais estar longe.

Lembro-me da altura em desci exactamente a mesma rua que ele desce agora, e da noite em que liguei a chorar para a Ana, só porque a precisava de ouvir, de falar com ela, desabafar. Hoje o Eu ligou para mim pelos mesmos motivos, precisava de desabafar, de falar com alguém, e eu tive a honra de ele me escolher a mim.

Acho engraçado como todos nós passamos pelo mesmo, traz-me de volta o texto da Lauryn Hill que postei uns dias atrás "I tell you, everybody is in the same mess", e estamos, eu tento todos os dias lidar com os meus fantasmas, os monstros de estimação que pairam sobre a minha vida, o Eu tenta lidar com eles da melhor maneira que sabe. Há pessoas que entram na nossa vida, e ficam, e não saiem mais, independentemente da quantidade de vidas que vivemos depois delas, elas voltam para assombrar a vida que temos com recordações das que já vivemos.

O equilibrar da balança são os amigos, esse que tambem entram e não saiem mais, mesmo quando a vida não nos deixa conviver tanto quanto queriamos, eles continuam lá a torcer por nós quando tudo parece irremediavelmente perdido para nos dizer que tudo vai acabar bem.

Segunda-Feira, Setembro 26... 2020

São quase 3 da manhã, estive até á pouco no escritório a preparar a reunião de amanhã. Volto a casa pela Vasco da Gama e o velocimetro passa um bocadinho os 200, mas o jazz que toca alto cá dentro abafa o vento lá fora, não há mais carros na ponte, só eu e mais 2 ou 3 camiões que ultrapasso num piscar de olhos, tou cansado e quero chegar a casa depressa.

Poucos minutos mais tarde, e uns tantos quilometros depois, ainda sem o ver, carrego no botão do comando que abre o portão de fora, e entro em casa, já devagar contorno a vivenda até ás traseira e paro o meu carro ao lado do dela no meu lado da garagem.

Não faz muito tempo que nos mudámos para cá, para a nossa modesta vivenda do lado errado do rio, onde é calmo e não acordamos com o barulho de buzinas. Tenho um emprestimo enorme pa pagar, mas 40 anos po fazer. Branca, ampla, estelizada com poucos moveis e nenhuns bibelots, sofisticada... como ela.

Ela, que já dorme, esperou por mim até á meia.noite e foi-se deitar. Dorme encostada á cabeceira ainda com os oculos de ler postos, um livro caido no regaço e a luz de cabeceira acessa, é um anjo. Eu marco a pagina em que ficou, e tiro-lhe o livro da mão, ela dá uma volta na cama deitando-se confortávelmente, aconchego-lhe os lençois dou.lhe "um beijo que ela confunde com um sonho", e volta a cair no sono.

É morena, ganha mais que eu e trabalha menos. Viaja a toda a hora para o estrangeiro para seminários e conferências, uma vez por outra eu apanho um charter e vou passar a noite com ela, e com isso, a noite custa menos a passar naquela cidade inóspita.

De vez em quando sou eu que tenho de ir um par de dias para fora, sou a primeira pessoa a sair da porta das chegadas, não tenho bagagem, só uma mala com o portatil, uns documentos e uma muda de roupa, assim que chego ao terminal vindo do avião telefono para a empresa para ficar a par dos ultimos dias, telefonema que dura até chegar ao pé dela.

Não a procuro no Aeroporto, sei sempre onde ela está, temos o "nosso sitio" onde esperamos um pelo outro, ao chegar ao pé dela digo para quem está do outro lado da linha "tenho de desligar, logo falamos" e só ela importa, só tenho olhos para ela.

Voltamos para casa, ela guia, acelera até dobro do limite de velocidade, tem pressa de chegar a casa, eu tambem, temos saudades um do outro, fazemos amor e dormimos até tarde. Eu só tenho de ir ao escritório de tarde, e fico a manhã a recuperar do jetlag, ela liga para a empresa e diz que vái chegar mais tarde... passamos a manhã juntos, deitados abraçados enquanto lhe conto da minha viajem e ela me diz o quanto gosta de mim enquanto decidimos o nome dos filhoes que vamos ter... um dia.

É fim-de-semana os meus amigos vêm cá passar o dia, juntamos-nos na garagem a restaurar um carro velho que comprei, logo vejo se depois o vendo ou junto ah Vespa, ao Mini e ao Carocha na minha coleção, tomamos banhos de sol e de piscina, almoçamos churrasco, jogamos Graceball e vimos o derby ao fim do dia numa televisão enorme espojados pelos sofás da sala,

É nestes dias que ela sái com as amigas, não se dá com as mulheres dos meus amigos, isto é ... dá, mas não são as amigas dela. É nestes dias que sou eu que tento em vão esperar acordado por ela. Ouço ao longe o ronco dos 6 cilindros do carro a chegar e o portão do lado dela da garagem abrir, e a dormir sorrio. Depois disso já só a sinto entrar na cama pé ante pé, sem fazer barulho para não me acordar. Eu não acordo, mas assim que a sinto por perto, instintivamente dou meia volta na cama, meto um braço por cima dela e continuo a dormir.

Na manhã seguinte acordo mais cedo com ela aninhada em mim, despacho-me para ir com eles passear as moto-quatro até ao mato, antes de sair de casa fico uns minutos a vê-la dormir, tem ainda vestigios da maquilhagem da noite anterior a contornar-lhe os olhos... é um anjo.

"Netcabo" ou "Como poupar 12€ por mês"

Quando cheguei hoje a casa tinha uma mensagem do Énio no messenger a perguntar-me se era da Netcabo ou da Cabovisão, eu disse.lhe que era da Netcabo, e disto isto ele diz.me para eu ir ler esta thread no forum da "techzone"...

Sou cliente Netcabo há alguns anos, mas neste momento, penso que há melhores serviços de internet noutros ISP's.
Tinha o Speed On (que passou a Mega2) e decidi mudar para Clix 2megas, tanto pelo preço, como pelas características. Este mês activaram o serviço, e hoje liguei para a Netcabo para quebrar o contrato com eles..
Disse que cria acabar, e depois de dar os dados a operadora pergunta: "Mas se não se importar pode dizer a razão?", eu disse que tinha melhores ofertas na concorrência. Ela passou-me a outro operador e aí começam as novidades. Voltou a perguntar porque eu queria mudar de ISP e eu respondi o mesmo. Então ele disse: "Nós temos 1 tarifário promocional de 4 megas pelo mesmo preço do Mega2 com 8GBs de tráfego internacional e nacional ilimitado (n tenho a certeza destes valores)".Eu disse que agora já tinha aderido ao Clix 2megas porque gastava apenas 20 e tal €s por mês com melhor tarifário. O operador continuou, a dizer que "se a ligação ainda não estivesse activada, eu podia anular o contrato com a clix, etc.. e que haviam certas campanhas que não estavam divulgadas..." e mostrou 1 nova "promoção" que era manter o Mega2 por 23€ (aproximadamente)..
Eu disse que já não estava mesmo interessado, mas que ia divulgar esses tais "tarifários promocionais que aparecem quando o cliente está a fugir".
Eu não acho certos fazerem esta pressão e cobrar X a 1 cliente e Y a outro pelo mesmo serviço. Por isso, sugiro que todos os clientes liguem para lá e façam 1 ultimato, de certeza que surgem grandes promoções.

E eu que pago 35€/mês assim fiz...

Peguei no telefone e liguei pa Netcabo depois de muitos "Prima 1 para Serviços lá lá lá" ou "Prima 2 para descontar outro impulso" lá um operador me atendeu a quem pedi informações sobre o procedimento para o cancelamento do meu contracto, ao que ele me re-encaminha para a linha de desistências, onde depois de dizer que estava seriamente a ponderar cancelar o meu contracto por ter amigos com melhores serviçoes ao mesmo preço, ou o mesmo a custo inferior, são me dadas a conhcer umas "promoções" em que pelo mesmo preço da minha mensalidade, em vez do SpeedOn com 1Mega de velocidade de ligação e do meu giga de limites de downloads... podia passar a 4 megas de velocidade e 8 de trafego, ao que eu digo que ñ mudo pela velocidade, mas por ser mais barato, e é então que me dão a conhecer a Mega2, que ñ é mais que um tarifário com o dobro da minha velocidade de ligação, o dobro dos meus downloads actuais, com a diferença que não posso usufruir da Happy Hour (nao contabilizar downloads da 1 ás 7 da manhã) que eu até pensava já ter acabado por 23€, menos 12€ ke os meus actuais 35€. Eu digo então que nesse caso, poupava-me ao trabalho de mudar de ISP e ficava então a pagar os 23€... e voilá.

Sinto-me bue roubado quando penso em todos os meses que paguei 35€ quando podia estar a pagar 23€, mas fico ainda mais incomodado quando penso na quantidade de gente que por desconhecer aquilo que eu fiquei a saber hoje, vái continuar a pagar os 35€, como tal, eu que nem tenho por habito fazer isto isto, fica aqui a chamada d'atenção.

Acho mesquinho aproveitarem-se do facto de as pessoas terem previamente de cancelar contrato com eles para assinar com outro ISP para que eles achem altura oportuna para por a par das suas "fantásticas promoções". Não consigo deixar de pensar de quem será afinal a culpa de toda esta "crise".

Tenham um bom fim-de-semana.

The long way home.

É dificil viver em tempo real, foi das minhas mais recentes consciencialiações. É facil olhar para trás e pensar tudo aquilo que podia ter sido feito e como a nossa vida era diferente agora, se um dia, por um motivo qualquer, tivessemos feito uma insignificancia diferente.

São 4.46 da manhã, estive até á uma hora atras a falar com a Andreia, conheço-a á, bem, nem mesmo sei á quantos anos a conheço, uma mão cheia deles provavelmente, no entanto, poucas foram as palavras para lá do "Oi", "tudo bem", "até á proxima" que troquei com ela até ah bem pouco tempo, mas nunca calhou. Hoje, todos esses anos e o pouco tempo mais tarde, fico até as 4 da manha a falar com ela, porque é de facto uma rapariga interessante, consciente, temos este ou outro ponto em que concordomos, e não consigo deixar de pensar, que pena não termos falado um com um outro antes, em todos estes anos que nos conhecemos.

E a minha Andreia, que mora a 3km's duma estrada por onde passo desde que me lembro, e nunca calhou a passar á porta dela, todo o tempo em que pensei encontrar alguem como ela, e todo este tempo ela esteve ali, a 3km's donde passava dia sim dia não.

É dificil viver agarrado a "se's", se nos tivessemos dado ao trabalho de conhecer melhor aquele que sempre nos limitamos a saber quem era, se tivessemos virado á direita em vez de termos sempre seguido em frente, quanto a nossa vida ñ tinha mudado, para melhor!?

É tricky pensar nisso, é facil dár exemplos de situações que ainda fui a tempo de emendar, posso pensar, "tenho pena de não me ter dado ao trabalho de conhecer melhor aquela minha amiga, quem sabe se não era desde então uma grande amiga minha", "tenho pena de não ter passado na Avenida 1º de Maio antes, e quem sabe se hoje eu e ela não estavamos juntos á anos", mas dificil é quando pensamos em tudo aquilo que nos passou ao lado, mesmo ao lado, todos os melhores amigos que podiamos ter tido, todos os grandes amores que estavam a um "olá" de distancia que nunca veio, e que agora a oportunidade passou.

Pior ainda quando pensamos, quantos não são os nossos melhores amigos que já conhecemos, mas ainda ñ sabemos, em quantos não são os grandes amores da nossa vida que todos os dias passam na rua que tambem vái dar á nossa casa pela qual nunca passamos para fugir ao sinal. Em como a rotina nos privou de tudo um novo mundo que sempre esteve lá, mas que "nunca calhou" darmo-nos ao trabalho de descobrir. Não deixes que a rotina te adormeça, usa-a para acordar... e sei lá, escolhe o caminho mais longo até casa... quem sabe o que podes encontrar.

Patologias

Innocent? Is that supposed to be funny? An obese man... a disgusting man who could barely stand up; a man who if you saw him on the street, you'd point him out to your friends so that they could join you in mocking him; a man, who if you saw him while you were eating, you wouldn't be able to finish your meal. After him, I picked the lawyer and I know you both must have been secretly thanking me for that one. This is a man who dedicated his life to making money by lying with every breath that he could muster to keeping murderers and rapists on the streets! A woman... so ugly on the inside she couldn't bear to go on living if she couldn't be beautiful on the outside. A drug dealer, a drug dealing pederast, actually! And let's not forget the disease-spreading whore! Only in a world this shitty could you even try to say these were innocent people and keep a straight face. But that's the point. We see a deadly sin on every street corner, in every home, and we tolerate it. We tolerate it because it's common, it's trivial. We tolerate it morning, noon, and night. Well, not anymore. I'm setting the example. What I've done is going to be puzzled over and studied and followed... forever.
Esse é dos meus dialogos preferidos no Se7en, e aquele que acho que mais relação tem com o post de hoje.

No outro dia via a Oprah no Sic Mulher e todas a plateia aplaudia uma senhora de idade que e cito "tinha tido a coragem para assumir o seu problema", pois bem, o problema dessa senhora de meia idade era ser cleptomaniaca e á 45 anos que roubava de lojas.

Ora que bom, que corajosa que a senhora é para assumiar a sua doença. Mas qual doença?! Irrita-me solenemente que se inventem patologias mentais com nomes pomposos de modo a serem socialmente aceites. Eu adorava ser um cleptomaniaco, aliás, quantas e quantas vezes já ñ vi qualquer coisa numa loja que não podia comprar, era muito mais facil tê.la roubado e ser doente... que tê-la roubado e ser só um ladrão.

Se é tão corajosa ao ponto de ir dizer ao mundo inteiro na televisão que é uma cleptomaniaca, se calhar tambem era ao ponto de deixar de roubar, mas isso implicava deixar de ter um monte de coisas que não tinha dinheiro para pagar, e isso é chato.

Mas temos um monte delas, o vicio do jogo por exemplo, eu vou ao casino com alguma regularidade e tanto eu como a minha querida gastamos 5€ nas slots, nem um tostão as mais, claro que quando perdemos (e acabamos sempre por perder) apetece ir trocar mais uns trocos e ficar por ali até ganharmos o nosso dinheiro de volta, mas somos mais inteligentes que isso e sabemos que quanto mais apostarmos, mais vamos perder e como tál, paramos! Mas podiamos ser estupidos e inconscientes e não parar e teimar que haviamos de ganhar... e ao que eu chamo estupidez, há quem chame doença.

Depois temos o tabagismo e o alcoolismo, adoro estas doenças! Herditárias?! Não me parece! Nao conheço ninguem que tenha nascido "doente", tambem não é do tipo contagiante, logo é o tipo de "doenças" que se escolhe ter, para resolver problemas, e voilá! Resolve mesmo... porque deixamos de pensar nos problemas que tinhamos porque agora se tem todo um novo para enfrentar :D Prova superada!

E em estado mais avançado temos a Toxicodependência, LINDO! Adoro este nome, quão pomposa patologia para o vulgo drogado que arruma carros na avenida.

Mas temos mais... a gente futil dos silicones que afinals teem só pouca auto.estima, as prostitutas que já ñ são só putas, e os chulos que são "profissionais intermediarios dos amores" e sim, esta é a defenição de dicionário para "Proxeneta".

E voilá... temos um mundo tão mais bonito, sem ladrões, nem putas, nem chulos, nem coitados que não conseguem deixar um cigarro ou bebedos que não largam a tasca, sem carochos e sem gentinha futil.

... em contrapartida, temos uma data de patologias pomposas com as quais lidar, e o dever de ajudar aqueles que teem a infelicidade de sofrer das mesmas. Os cleptomaniacos coitadidos que não têm culpa, as prostitutas e o seus proxenetas, as diversas vitimas do tabagismo e alcoolismo, os imensos toxicodependentes e as pessoas com uma baixa auto.estima.

Ritorna pronto sorella *

Whenever I get gloomy with the state of the world, I think about the arrivals gate at Heathrow Airport. General opinion's starting to make out that we live in a world of hatred and greed, but I don't see that. It seems to me that love is everywhere. Often it's not particularly dignified or newsworthy, but it's always there - fathers and sons, mothers and daughters, husbands and wives, boyfriends, girlfriends, old friends. When the planes hit the Twin Towers, as far as I know none of the phone calls from the people on board were messages of hate or revenge - they were all messages of love. If you look for it, I've got a sneaky feeling you'll find that love actually is all around.

Tambem eu gosto de aeroportos, tudo ganha uma nova dimensão, cada mulher que por nós passa é uma Posh Spice a caminho d'algum lugar exotico, esbanjar o dinheiro do marido, que deve ser um dos dois milhares de tipos engravatados a segurar na mala do computador portatil, todas as mulheres são sexys, e todos os homens empresários de sucesso no aeroporto da Portela, pouco importa para onde vão, para o Porto é o mais certo, mas não importa, é tudo aquilo que imaginamos á volta deles que conta.

Gosto dos pais que se despedem dos filhos, quando estes partem no inicio duma aventura com final incerto, o olhar lavado em lagrimas e a expressão estampada na cara que diz, "ainda ontem gatinhavas, hoje embarcas na porta 7, como cresceste". Do casal de namorados que se despede como se não se fossem voltar a ver, e choram, e acenam um para o outro ao longe á medida que a escada rolante avança e toda uma outra vida começa a ficar para trás.

O problema do progresso, há sempre alguma coisa que tem de ficar para trás. Hoje fui eu, a minha mãe, e a minha avó que ficamos para trás, á medida que a minha maninha mais nova nos acenava enquanto a escada rolante subia, e a mãe chorava, sabendo que vão ser longos meses até a Inês voltar para casa para passar o Natal. A versão oficial é de que me vái saber bem umas ferias dela por um semestre, mas as coisas não são as mesmas sem ela por cá, e ainda agora a deixei no aeroporto.

Desconfio que não há-de passar muito tempo até a mãe se meter num avião e ir ver como está a filhinha, eu sou menos lamechas e espero que ela volte pelo Natal, qui çá com uma Vespa vinda de Roma como prenda. A gasolina está cara... mas o mundo é pequeno, e aqueles que amamos estão sempre no nosso coração, ainda que a uma viagem de avião de distância.

Regras do Universo.

Venho por este meio inaugurar a rubrica, "Regras do Universo" que são nem mais nem menos que constatações por mim feitas sobre o funcionamento das engrenagens do mesmo e verdades inequivocas relativamente a situações que não teem outra explicação senão um "epah... porque é assim! Sei lá?!"

O universo só permite uma pessoa com pressa por zona geografica, querendo com isto dizer que se em determinada zona, eu estiver com pressa, mais ninguem está, solo yo.

Acho que a maneira que o Universo tem de gerir isto é atraves dos codigos postais dos CTT, ou seja... se eu estiver com pressa no "2830-283 Barreiro" mais ninguem está, e assim que eu me desloco para um codigo postal diferente, disponibilizo o codigo postal anterior para que possa ser ocupado por alguem, tambem com pressa.

A existencia de duas pessoas com pressa no mesmo codigo postal, levaria ao colapso do universo sobre si mesmo, e ao fim da vida como a conhecemos.

Interlude 5

I tell you, everybody is in the same mess, I'm telling you. We all are. I know that. I will be the first to tell you, you know. I'm a mess, and God is dealing with me everyday. Everytday I'm trying to learn how I could be less of a mess. He showed me, you know, he showed me, look Lauryn, you know, you're in a problem. Ok? I'm gonna show you're causing the problem, and now I want you to be the solution. And that's what all these songs are about. This problem, cause, solution. Free your mind. You know?

We all think that the Gospel is joy in church building and thats deception, the real gospel is repel, let go of all that craps thats killing you, life is supposed to be a pleasurable experience, not this torment. And when i realized I was tormenting myself with my lust, it wasant things I needed, it was just all theese security blankets, the more I adquire I became more of a prissioner, 40 people on staff, and you can’t do nothing, and now creativity is impossible because all you can think about is all these folks you’re supporting and carrying, It’s not good you know?!

A friend of mine says, every tub has to stand in its own bottom. In that respect we all get to do what our passion is. That what’s prassing God is all about, doing your passion, it’s not useless, worthless rituals, monotonos rituals that we show up and can’t wait to see the game, It’s doing you passion fufilling your passion. That’s how we’re thankfull, that’s how we apreciate the opportunity to be alive. And I’m glad I dont have to slave anymore, coz music was my love, and because of everything that had to acompany my music it became my burden, it just got stollen from essence, and I said “what Is this? How did this thing that I love so much so fast and so easily turn into something I hate?” So know I understand that it was because I was mesurering myself or trying to compare myself to a standard that wasan’t reality, that wasant the standard at all. Theres an inscription in the bible that says “we compare ourselfs among ourselfs”. That’s not the standard, you already are the standard, why are you trying to fit into “a standard” for? We were each created to be individual standards and we’re trying to fit into “a standard”, that doesn’t make any sence. So now, after all that, I’m just ready to be me. And it’s a lot to work trought, coz we all have hidden in theese little boxes parts of ourselfs that we weren’t happy about, that we didnt love because we didn’t understand, ‘coz there is all this social doctrin that says the the infinte God with all His expression, who created every single one of us absolutely different, on purpose, wants everyone to fit into the same suit. And that’s deception.

We went in florida this weekend, and we took the kids to Disneyworld, and the gave us the tour, so they’ve escorted up trought the back. And when they escorted us to the back we got to see how there were all this people working real hard, and it was real dirty back there, and of course, in the front it was all imaculately clean, and I said… you know, people need to see the reality, people need to see how theese people slave to maintin this illusion, it felt like my life! If people only knew what it was, a bunch of musicians bustin’ their ass working all hard to make it look easy, what’s the point ?! “Ohhh I just threw this together!” I mean… you know! Slaving to act like “I wake up like this” and none of us do! And reality is good, coz everybody can exhale, let your belly out, and chill. And people get mad at me when I say “Hey lets stop frotin’. That’s the blessing! Now we can go around looking at each other saying “Ohhh you got one to?” AND BE FREE!

We want to defend a curse, I tell you… and that’s not fun, did it for a long time, too long

One time it came to me, I was just told very concretely, that voice, the right one said to me, “Hey Lauryn, the real you is more interesting then the fake somebody else, I just want you to know that”. Coz we all thought that we could get reality, just by putting on the clothes and wearing the face, and looking hard in the videos, reality is what I’ve always talked to my husband, we look at Bob Marley and say “Okay, lets just grow locks, wear the clothes have the band, and we have no ideia of how many years of struggle and pain and suffering that made that content, You know what I’m saying? You cant get it from the outside in, truth is from the inside out and the way we’ve been trying to heel and be heeld with this topical, surface, superficial, temporary solution. I’m teeling you, true healing is from the inside out, we’ve been told to protect our outher man while our inner man is dying.

(…)

God gave us a brand new relationship, one in truth! You know we date people, lets say we’re interesting in somebody and we put on the perfume, and dress up, and do things that we will never ever ever do again, and that’s why so many mariage end in divorce, coz people wake up next to a stranger and say “WHO THE HELL ARE YOU? WHAT ARE YOU DOING IN THIS BED? WHERE IS THE MAN THAT USED TO DO Hum And Humm and Humm” And I say just give them reality from the door, coz you going to atrack love and the one the really loves YOU! And you dont have to predent and falsify and keep that posture (…) and you know it’s soo wonderfull to finally find, and trust me it’s a work, its not something that happens over night.

We all have to be introduced to each other, I know I’m up here and Lauryn Hill you came to see Lauryn Hill, but this is the first time you meet me, dont think you’ve met me before, and as I grow you’re goint to meet me a little bit more, you’re going to be exposed to the real me a little bit more. I had to re-intruduce myself to everybody I know, my mother my father. Ya’ll never knew me! I want to intruduce you to me, and I’m just getting to know me! And you know what? Everything that’s not growing is dead, so we better be changing! People would say to me, they would hold me hostage, emocionaly hostage, they’d say “Shes changing, the money is changing her” and I’d say “Hey listen the money isn’t changing me, God is changing me” I’m changing coz thats a natural part of life.

We’re all supposed to change, who wakes up and is the the same way tomorrow and the day after that? Nobody is, let the experience teach you, and be real! And there’s gonna be warfare, coz some people prefer deception, they’ll say, “I dont like this new expression” and I’ll say “What you want 2/3 of me to stay outside?” I’m a whole person, you cant say “two thirds of Lauryn come in here, only two thirds is acceptable” I’m a whole person. And that’s every person, we all talk about spiritual warfare and didn’t realise it’s within relationships, it’s emotional warfare, beeing able to tell the people we love the most, the truth about ourselfs, and when they say “That doesn’t fit into our box for you” we say “well, I aint in no box, dont try to put me into one”.

Words of wisdom, por Lauryn Hill no album "MTV Unplugged 2.0" na faixa "Interlude 5"

Parasita da Sociedade.

Sexta feira eu suposto ter ido pá praia, mas acordei tarde e acabei por não ir, no entanto a Andreia e a Vanessa foram e eu resolvi dár lá um pulo ao fim da tarde para beber qualquer coisa na esplanada e dár boleia ás meninas de volta para casa, e por volta das 4 da tarde, tirei a capota ao jeep e rumei até ah Fonte da Telha ao som de Bob Marley, Dispatch, Letters To Cleo, Save Ferris, Pratice... enfim, mto zen!

No regresso a casa a minha querida pediu.me para a deixar o no Continente do Seixal pois queria comprar qualquer coisa que mais tarde descobri ser uma prenda para mim. Para a deixar o mais perto possivel das escadas d'acesso ao Continente, e fazendo os possiveis para ñ interromper o transito, subi um passeio para ela sair. Os carros atras de mim continuavam a passar, não havia ninguem no passeio, e dado que demorei uns 20 segundos, não havia problema nenhum, e de facto não havia até alguem querer fazer d'isso um problema.

Um homem que acaba de dobrar a esquina a uns 50 metros de onde eu estava, começa a dizer repedidamente "has-de me dizer onde é ke tiraste a carta", claro que pela altura em que o homem chegou ah parte do passeio onde eu tinha parado o jeep, já eu estava na estrada de 1ª engatada e a andar, logo o meu estacionamento improvisado em nada o tinha afectado, mas ele continuava a mandar vir, como se lhe tivesse causado um grande transtorno. Um minuto ou outro de reflexão mais tarde sobre a situação, fez-me concluir que de facto, tudo aquilo o afectou, não o estacionamento em si, mas tudo o resto, passo a explicar...

Eram umas 19 horas duma tarde de sol escaldante, sexta feira, eu ouvia musica do "chill out" ao volante dum jeep descapotavél, e uma miuda de cortar a respiração e super bronzeada, saía do lugar do pendura, era obvio que tinhamos vindos da praia. Em contra-partida, ele vinha a pé, do comboio, depois de uma semana de trabalho, acompanhado por outro tipo tão feio quanto ele, sujos com pó da obra e com um ar de quem acordou ás 6 da manhã e inda tem uma hora de caminho a pé antes de chegar a casa para abrir a porta e encontrar um filho ranhoso a pedir uma Playstation portatil e uma mulher gorda e torta a perguntar se trouxe pão. É obvio que o ter-se cruzado comigo o afectou imenso, não o meu estacionamento mas toda a minha existencia!

Suponho que seja isto que faça confusão a muita gente, sou novo, não trabalho e ainda assim vou pá concentração de santarem no meu carro tunado, vou pá praia de jeep, passo férias na minha casa no algarve. É mais facil para gentinha limitada achar-me um parasita da sociedade que tirarem uns minutos para pensar que se por acaso tenho a possibilidade de usufruir daquilo que tenho, é graças ao trabalho dos meus pais que lutaram para mo puder proporcionar.

É natural que achem duma tremenda injustiça divina que eu tenha algo pelo qual nunca trabalhei quando eles trabalham das 8 ás 8, 6 dias por semana. O que essa gentinha não percebe é que se tenho, foi porque os meus pais já trabalharam tão ou mais arduamente que eles para se aqui chegar, que se esforçaram para proporcionar aos filhos aquilo que eles não tiveram na minha idade, e a minha felicidade por ter, é equivalente á deles por mo possibilitar. Depois usam termos como "Parasita da Sociedade" quando na realidade, a sociedade não é vista nem achada em tudo isto, mas acho que foi a maneira que encontraram para dormir melhor de noite, felizes na sua miserável existencia.

Mamas e tatuagens, piercings e bebedeiras!

Tenho de confessar que acho este um dos títulos mais hilariantes que alguma vez atribui a um post meu, Genial pah! Genial! Eu conseguir associar coisas tão distintas, adiante... :P

Tenho de começar pela motivação deste post, uma amiga minha cujo nome pouco importa (Susana) pôs silicone no peito, sim, é importante frisar que foi no peito parece que já é implantado em todo o lado, desde os lábios ás nádegas, mas não, foi mesmo no peito. Até aqui tudo bem, mentira... tudo mal, essa tal amiga minha (a Susana) é mais nova que eu, deve ter uns 20 anos e aumentou as mamas?! Sinto-me obrigado a dissertar sobre isto.

Não sou contra implantes de silicone, e como rapaz pós-puberdade que sou, permitam-me acrescentar, muito pelo contrario! Acho que fazem todo o sentido na Pamela Andersson que vive da imagem dos seus "enormes seios" e de todo um leque de actrizes, modelos, manequins, porn-stars (não tinha a certeza se estas eram abrangidas pela definição "Actrizes"), tal como disse, toda aquela que viva da imagem compreendo que procure moldar o corpo para agradar ao maior numero de "compradores" possível, seja a ir ver os seus filmes ao cinema porque ela aparece numa micro-saia e com um decote até ao umbigo, comprar a revista com ela na capa, o champoo que ela publicita, etc etc etc, tirando a utilidade acima referida, vejo uma outra, muito mais nobre que é possibilitar a quem teve a infelicidade de perder um seio seja porque motivo for (cancro, acidente, whatever) uma vida normal. E contabilizadas essas duas utilidades para o silicone, todas as outras são absurdas, principalmente quando a pessoa em questão ñ tem sequer a certeza se já acabou de crescer ou não.

Aliás, não acho só um absurdo, acho uma tristeza, acho deprimente que alguém compre umas mamas novas para se sentir melhor com ela mesmo, acho ridículo que alguém ache que vai ser um bocado de silicone debaixo da pele que fazem dela mais ou menos gente. A minha opinião sobre todas essas complexadas, e já agora sobre a minha amiga cujo nome vou manter secreto (Susana) é que deviam ter pegado no dinheiro que gastaram nos cocos, e tê-lo entregue a um psicólogo, porque está claro que o vosso problema não está no peito, mas em cima do pescoço!

Mas ainda me atrevo a tentar descobrir as motivações que a levaram ah cirurgia, e até lhe dou a parte do ... "foi para se sentir melhor com ela mesma e com o seu corpo", e pergunto porque? Porque é que alguém não se há-de sentir feliz com o corpo que tem? "Enjoy your body, use it every way you can, don’t be afraid of it, or what other people think of it, it’s the greatest instrument you’ll ever own ", precisely! É o maior instrumento que alguma vez hei-de ter, e uns cm's a mais ou a menos é pormenor, é meu, e por ser meu é o melhor corpo do mundo, permite-me saltar em cima da cama, correr e sentir o vento na cara, atirar pedras para charcos... DANÇAR! Adoro o meu corpo porque é meu e porque me deixa fazer tudo isto e mais, e estou nem ai para o tamanho do meu peito. A outra hipótese que eu me atrevo a arriscar, ainda é pior que não gostar do corpo dela, é achar que os outros não gostam do corpo dela, e então aumenta o numero de soutien para ver se consegue dar mais nas vistas, o que nos remete para uma questão bem mais profunda, até que ponto é que alguém quer dar nas vistas pelo tamanho do decote? De facto, só pode querer dar nas vistas pelo tamanho de decote, se não tiver nada de interessante o suficiente para dizer a seja quem for para o fazer olhá-la nos olhos enquanto fala com ele. É tipo a eterna luta Blogs V.S. Fotoblogs, em que os primeiros acham que pouco importa como eu sou mas o que tenho para dizer, e os segundos pensam "olhem pa mim porque não tenho nada pa dizer".

Agora a parte dos piercings e tatuagens e a sua associação as mamas da outra (Susana), vou á praia e é-me mais difícil encontrar alguém sem uma tatuagem que o contrario. É moda ter uma tatuagem, é o verão, e uma tatuagem no fundo das costas fica sempre bem na menina. Adoro ver gente que acha que se distingue porque tem um piercing aqui, ou uma tatuagem ali. Newsflash, qualquer pessoa pode fazer uma tatuagem, qualquer pessoa pode fazer um piercing, e como tal não vejo como é que terem algo que toda a gente pode ter vos torna "mais únicos". "Ahh, fiz esta tatuagem porque para mim tem significado porque é a letra chinesa do nome da minha bisavó que Deus tem"... Treta! Se alguém tem assim tanto significado para vc's, garanto-vos que ñ é preciso pintar uma merdice na pele para vos lembrar seja de quem ou do que for! Eu sou eu, e brilho por mim mesmo, dispenso acessórios!

E bebedeiras! A parte do titulo que faltava mas que tem tudo a ver com as anteriores. Cada vez mais bebedeira é sinónimo de diversão. Errado! Eu saiu, e divirto-me, e não bebo. E se alguém sai, e precisa de se enfrascar para se divertir ou para se desinibir e ir falar com a miúda do outro lado do bar, adianto-vos que o bafo ao álcool que ingeriram para ganhar coragem para ir falar com ela, que vem ao de cima assim que abrem a boca, não causa boa impressão, e não ha segundas oportunidades de causar uma boa primeira. E se é mesmo só para se divertirem mais que apanham grandes pielas, well, devem levar uma vida bem triste para ser preciso álcool no sangue para mudar qualquer coisa.
Free counter and web stats