Reply

Não sei o que te dizer, e para quem tem sempre uma resposta para tudo, este é território desconhecido.

Antes demais não sabia que te chamavas Helena, tens um nome lindo, não devias deixar que ninguém te voltasse a chamar Xana. É como chamar Bia a uma Beatriz, ou Guida a uma Margarida, quebra todo o encanto... Helena.

Não sei o que te dizer porque era o ultimo e-mail que esperava receber, hoje ou em qualquer outra altura... mas estou feliz, feliz por aquilo que significo para ti, feliz por ficar orgulhoso da pessoa que te tornaste, da mulher que és agora que parece ter as ideias tão em ordem, não é fácil, e podes achar que ñ é fácil na adolescência, mas eu tenho uns anos a mais e deixa que te quebre o suspance dizendo que nunca fica mais fácil, e aquilo que a idade te dá, é a capacidade de lidar melhor com os problemas que vão evoluindo contigo.

Eu também guardo recordações tuas, escusado dizer que são boas, todas as recordações são boas, instantâneos duma vida que já foi a nossa, recordações são como bocados de madeira á deriva, que nunca afundam e que de vez em quando dão á costa para que possamos recordar quem fomos á muitos anos atrás.

Este teu e-mail veio rematar uma serie de acontecimentos que me têm deixado a pensar, a qualquer coisa como um ano atras recebi uma mensagem da minha ex-namorada do Porto, a Marta, com quem já ñ falava desde a tragédia grega que foi o fim do nosso namoro, e que dizia "espero que esteja tudo bem, afinal de contas, já passou tanto tempo", a semana passada ou pouco mais que isso, encontrei a Sofia, a minha primeira namorada no hi5 e também tenho falado com ela, acho que todos sentimos a necessidade de remediar tudo aquilo que achamos que podíamos ter lidado melhor, ou pelo menos de maneira diferente.

Aquilo que percebi recentemente foi que estamos sempre a mudar, e nem sempre olhamos para trás e gostamos daquilo que vimos, de quem fomos, e ás vezes é essa a ideia que fica junto daqueles que só te conheceram então, por um curto período de tempo, e sem o convívio necessário para que essa imagem que fica nossa, vá evoluindo connosco, é essa versão distorcida de quem somos agora que fica, e sentimos a necessidade de dizer que mudamos, que percebemos agora que nem sempre fizemos as coisas mais acertadas ou em como tudo seria diferente se tivesses na altura a consciência que tens hoje do mundo, ainda á bem pouco tempo passei por isso.

Não te posso pedir desculpa por não ter sido tudo aquilo que gostavas que eu tivesse sido para ti, mas não se pede desculpa por essas coisas, o coração tem razões que a razão desconhece, mas "remember, the sweet is never as sweet without the sour" e se tudo isto te ensinou alguma coisa e ajudou a tornares-te na pessoa que és hoje, então tudo está bem, quando acaba bem, tenho orgulho em ti.

Obrigado pelo carinho que me tens, pelo lugar onde me guardas que nunca fiz por merecer.

E quem sabe, "maybe we'll meet in another life, when we are both cats!"

Um abraço, Helena.

Just what the world needed ...

... another DJ



... yours truly, takin over the globe, kicking it off at Portão Bar! (;

Festival Eurovisão da Canção

Estava mesmo agora ali na sala a ver o Festival da Canção, e senti a necessidade de partilhar os meus sentimentos relativamente ao dito...

... e acho fantástico como é que um grupo de tão poucas pessoas, conseguem envergonhar todo um país.

O homem da casa.

A não ser que sejam o único homem de uma casa, não há nada que eu possa dizer que vos vá fazer perceber na sua plenitude a pressão que é bem como a tremenda responsabilidade que vem associada ao cargo.

Temos de saber, e saber fazer tudo, e quando digo "tudo", não estou a generalizar, estou a ser bem especifico, temos de saber, e saber fazer rigorosamente tudo e todas as outras coisas que o "tudo" possa não abranger. "- Zé, o fio da Tvcabo descolou-se do rodapé" ; " - "Zé, a porta do guarda-roupa não desliza" ; "- Zé, entra vento pela porta da rua" " - Zé, a lâmpada da sala fundiu-se" ; " - Zé, vem cá tirar aquela travessa de lá de cima" ; " - Zé, a bicha do chuveiro esta estragada" ; " - Zé, o ralo da banheiro ñ deixa passar agua" ; " - Zé, o canal 1 tá com chuva!" ; " - Zé, a campainha da porta não toca" ... " Zé, o intercomunicador do prédio faz feedback nas palavras acabadas em "indo" ", a lista podia continuar para sempre, confiem em mim.

Claro que também há aqueles problemas do foro psicológico relacionados com o divorcio dos pais, e uma fase importante do crescimento passada num lar desfeito sem a presença de uma figura paterna para ter como exemplo a seguir, cuja falta nos vais marcar para a vida, yada yada yada... treta... quando comparado com o profundo conhecimento que se tem de ter de todos os electrodomésticos criados pelo Homem desde o inicio dos tempos e o seu modo de funcionamento, tudo o resto são pormenores.

Só todos aqueles, que como eu, cumprem as funções de homem da casa desde tenra idade, compreendem aquilo que vos quero transmitir, a pressão, não só de chamarmos para nós a responsabilidade de proteger todo o restante agregado familiar a qualquer hora da noite ou dia, acordando sobressaltados para investigar qualquer barulho suspeito oriundo do mais recôndito e longínquo canto da casa, como somos nós ... a ultima linha de defesa contra toda e qualquer lata de pickles que possa entrar cá em casa!

...mas ...mas o que é que eu fiz?

O caminho de casa ao Queen Elizabeth pelas 7 da manhã era um martitio diário e então eu a minha irmã iamos o caminho a brincar um com o outro no banco de trás da Renault 4L, aos saltos e ás cambalhotas que nunca ligavam bem com um carro em andamento, era natural que a dada altura o pequeno.almoço regurgitasse. Por muito que me surpreenda agora, vomitar para a bagageira era o pão nosso de cada dia, sempre que achavamos que o inevitável estava para acontecer e avisavamos o meu pai, a resposta era sempre a mesma "vomitem lá para trás.", e assim se passavam a manhã a caminho do colegio.

E tantas foram as vezes que vomitavamos "lá para trás" que era algo de tão natural como o ir para a escola em sí. Não via nada de estranho em vomitar para a bagageira do carro, até á semana passada, quando depois de termos ido jantar com o meu pai ao Forum Almada a Inês diz no caminho de volta a casa "tou mal disposta" ao que o meu pai, como tanto anos antes, responde com uma gargalhada "vê-lá se queres vomitar lá para trás", mas claro que agora tenho mais 20 em cima dos 5 anos de então, e obvio está que ninguem ia vomitar para lado nenhum.

E foi então que me atingiu, 20 anos mais tarde, tendo já eu o meu carro e a consciencia da nojice que é alguem vomitar dentro dele, já para não falar no trabalho que me ia dar a limpá-lo e esfregá-lo 20x até que fosse de novo possivel respirar fundo lá dentro, que me apercebi do trabalho que o meu pai tinha sempre que nós vomitavamos a bagageira da 4L de ponta a ponta, e em todas essas vezes, e acreditem que ñ foram poucas, não me lembro de ele se zangar connosco por isso uma unica vez, e se isto não é amor incondicional, não faço ideia do que possa ser.

Só passado todos estes anos é que nos confessou, "vc's não fazem ideia do trabalho que dava limpar a mala sempre que vc's vomitavam dia sim/dia sim", e mesmo que nos tivesse dito, não ia ter percebido de que é que ele estava a falar, tanto quanto eu sabia, a mala da Renault na manhã seguinte esta como nunca tivesse acontecido nada, pronta para mais um dose do nosso pequeno.almoço de uma hora antes. Só agora é que eu me apercebi que vomitar o carro do meu pai, não tinha nada de natural, apesar de sempre o ter sido. Só agora que tenho carro é que sei o quanto ficava piçado, se alguem regurgitasse, fosse que refeição fosse, dentro dele, e no entanto, isso nunca pareceu aborrecer o meu pai. A father's love is a father's love.

Depois pus-me a pensar na quantidade de coisas que para mim sempre foram verdades universais nunca postas em causa, e que se pensar nelas com a maturidade d'agora vejo que ñ eram assim tão "normais". Pim - Pam - Pum, cada bala mata um, em cima do piano está um copo com veneno, quem bebeu, morreu! ... mas que raio de frase é este para uma criança com 10 anos? Atirei o pau ao gato, mas o gato ñ morreu?! WTF? Mas porque raio é que eu havia de querer matar o pobre gato? E aquela que me faz mais confusão, "Levou um tiro dum amigo, pague 1.000$00" O quê? UM TIRO ?!?! DUM AMIGO ?!?! PAGAR ?! Mas... mas o que é que eu fiz ?!
Free counter and web stats