"In this universe, effect follows cause. I've complained about it, but..."

Gosto de tempestades. Já alguma vez rodopiaram tantas e tantas vezes de olhos fechados que deixam de ter consciencia de onde começaram e para onde estão virados agora... e agora... e agora, e de repente tudo deixa de fazer sentido? Ou disseram uma frase complicada muitas vezes o mais depressa que conseguiam, e a dada altura deixa de ser uma frase para ser um aglomerado de letras interminavel com uma fonetica estranha, e como em determinado momento deixa de ser uma frase para se tornar um loop interminavel de um conjuto de letras constantes e periodicas? Tres Tristes Tigres, tres tristes tigres, trestristestigres, trestristestigrestrestristestigres, estigrestrestristestigrestrestristestigrestrestrist, e passa tudo a fazer sentido ao contrario.

Nas tempestades acontece o mesmo, é facil ver um relampago e esperar pelo trovão que o segue, mas ás vezes, só as vezes, se estivermos com muita atenção, o trovão do relampago que o precedeu, é seguido de imediato, por novo relampago que há.de por certo ter trovão que o acompanhe, e se quiseremos, é facil de imaginar que os trovões e os relampagos trocaram de lugar, que o som é finalmente mais rapido que a luz, que depois de cada trovão, se segue um relampago, e que as folhas que esvoaçam por todo o lado rumo aos céus, não é culpa do vento, mas da gravidade que entretanto começou a puxar ao contrario.

Nas tempestades é facil de imaginar o impensavél, como que os rios nascem nas nuvens, que as arvores nos fazem "adeus" e que os predios e os carros choram, que o planeta gira para tras, que eu sozinho sou a maioria, que as pessoas são fundamentalmente boas, que o mundo é um sitio justo no qual vale a pena viver... mas só nas tempestades.
Free counter and web stats