A melhor época da nossa vida.

Para onde quer que me vire está alguem a dizer-me que a faculdade é a melhor epoca das nossas vidas, o mail da Nádia, o filme de ontem à noite, e eu estou na faculdade à seis meses agora e tenho pensado para mim, quando é que isto da melhor época da minha vida começa a fazer efeito porque, eu ainda não estou a sentir nada.

Para ser sincero ia carregado de expectativas, achei mesmo que ia ser bom para mim, um sitio novo, com novas caras, novos amigos, aproveitar e fazer certo com os novos tudo o que fiz de errado com os antigos, dar uso à maior conscincia que hoje, mais velho, tenho do mundo, e remediar todo o mal da minha vida, começar de novo. Mas passou depressa, e não foi sequer preciso um semestre para toda essa ilusão se esvair em fumo, e o novo sitio passar a ser o mesmo sitio de á seis meses atras, as novas caras tornarem-se nas caras de todos os dias, e os aspirantes a novos amigos, uma cambada de gente para a qual já não tenho paciência.

... e não deve ser essa a época que toda a gente fala pois não? Passou depressa demais para que sequer a ilusão que eu tive de tudo o que eu achava que ia ser tivesse algum impacto em mim. Pensei que a faculdade ia fazer de mim uma pessoa diferente, que me ia ensinar algo novo, e a única coisa que aprendi foi que o mundo não tem nada de novo para oferecer.

Tentei então perceber donde vinha toda esta teoria de que a faculdade era a melhor época da nossa vida, porque se querem a verdade, mil vezes os meus anos de secundário onde éramos putos com a perfeita noção da nossa idade, sem aspirações a pseudo-adultos e cartões multibanco, que discutem temas politicamente correctos como o referendo ao aborto e o impacto social que tem Salazar nos 10 Maiores Portugueses, sinceramente, nunca hei-de fazer um aborto e estou nem aí para o 10 Maiores Portugueses mais a Maria Elisa e os seus. No secundário discutíamos quem é que ganhava uma luta entre o SonGohan e o SonGoku, ou o melhor baralho de Magic, merdas com que genuinamente nos preocupavamos. Eramos putos, não podiamos votar em referendos mas em contrapartida também não iamos presos, e isso equilibrava a balança, e estava tudo bem como estava, nenhum de nós tinha pressa de crescer.

Perguntei ao Helder se a faculdade estava a ser a melhor época da vida dele, e ele disse que sim, o vir da Madeira para Lisboa e abrir um capitulo novo na sua vida, o "admirável mundo novo". Perguntei á Andreia se a faculdade estava a ser a melhor época da vida dela, e ela disse que sim, mais intensa, mais liberdade. Perguntei ao Horza, da minha idade, e ele não sabia responder, que a comparar a faculdade aos trabalhos que já teve, e entre o acordar cedo para ir para um trabalho que não gostava ganhar uma miséria, ou acordar cedo para se matar a trabalhar em algo que ele sabe que lhe vai proporcionar a vida que ele quer, então sim, a faculdade é melhor, como meio para atingir um fim, mas não a melhor época da vida dele, da mesma maneira que não é da minha.

A faculdade é a melhor época da vida daqueles que até então não tiveram vida, em que a faculdade significam saír de debaixo da asa dos pais e rumarem ao desconhecido numa viagem com final incerto movidos pelo espirito de aventura e as perspectivas de tudo aquilo que pode vir a ser. Agora para mim? Para o Horza? Já tivemos a nossa quota parte de aventuras, e não é a faculdade que nos vem mostrar nada que já não tenhamos visto ou ensinar algo que já ñ tenhamos aprendido todos estes anos que estivemos demasiado entretidos a aproveitar a vida, ainda que há custa de duros golpes no percurso académico.

... e foi isso que eu percebi sobre os melhores momentos das nossas vidas. Que o mundo e a vida são um desastre á espera de acontecer, e que acontecem sempre. "A random lottery of meaningless tragedies and a series of near escapes", e que o melhor momento, é aquele enquanto dura a ilusão de que as coisas podem ser diferentes, antes de o desastre que o mundo e a vida são acontecerem de novo e te fazerem ver que é tudo mais do mesmo, que vives em circulos, de tragedia em tragedia, em rotundas que não vão dár a lado nenhum.

O melhor momento das nossas vidas, é quando dás pela primeira vez á chave do teu carro novo e o guias para fora do stand, o mês que a matricula marca o calendário, quando olhás á medida que saís de casa pela manhã e o achas o melhor carro do mundo, o mais lindo da história automóvel, depois disso, é só um carro velho a precisar de revisão. A primeira semana de namoro, enquanto pensas que encontras-te a mulher da tua vida, antes das discussões e mentiras. A primeira semana de faculdade, com aqueles que achas que vão ser os teus amigos para sempre, antes da facada na costa. A casa nova e o "Aqui vou ser feliz" antes da gritaria dos vizinhos de cima e o cão que passa o dia a ladrar na varanda de baixo. Os 5 minutos de conversa com uma desconhecida em que a achamos a pessoa mais interessante do mundo, antes do silencio constrangedor que nos ver que não temos mais nada para dizer um ao outro. São os primeiros passos do meu primo, a primeira palavra, antes dos outros passos que são só mais passos, e todas as outras palavras que vieram depois da primeira, antes das birras e dos choros enquanto ainda consigo vê-lo como a personificação da inocência no mundo.

São os instantes em que achas que vais conseguir escapar á ciclicidade de que a vida é feita antes do inevitavel acontecer, os minutos em que pensas que é desta vez que lhe consegues trocar as voltas e evitar o desastre que lá no fundo sabias que ia eventualmente chegar, o mais do mesmo, o mesmo fim de todas as outras vezes que vieram antes desta. O melhor momento da tua vida é o breve espaço de tempo em que achas que tudo vai acabar bem, que vai ser diferente, só desta vez. São as "near escapes" antes das "meaningless tragedies" que acabam sempre por chegar. O melhor momento da tua vida, é aquele em que achas que podes fazer do mundo aquilo que queres, que dura até a vida te apanhar e fazer dele o que ele sempre foi.
Free counter and web stats