Os quartos de um coração.

Aurículos, ventrículos, dizem que um coração se divide em quartos, e assim se divide o meu, em quartos e quartos ao longo de corredores que não acabam, a cada esquina, encontro quartos que não conhecia, a cada canto, quartos que não sabia que o coração tinha.

Quartos grandes, pequenos, e pintados em todas as cores, cada um com o seu encanto, encanto que um dia me fez entrar e pensar que era ali que queria estar, deitar, dormir, ficar, e fiquei até o chegar o dia em que o enquanto passou, e fui andado para outros quartos.

Quartos que vim a conhecer tão bem que quase que neles me consigo orientar no escuro, outros que conheço bem demais, melhor que aquilo que devia, outros então que nem devia conhecer, quartos de que me vou esquecendo, outros que não consigo esquecer.

Quartos fechados nos quais nunca entrei, que me fazem pensar que há-de ser o mais perfeito dos quartos, porque nunca o cheguei a ver, sabendo que se o visse, o tempo transformá-lo-ia em só mais um quarto, como todos os outros quarto que vieram antes.

Quartos à porta dos quais me senti e esperei que a porta abrisse, meses, anos, e que ao entrar percebi que não tinham espaço para mim, quartos à minha espera, nos quais nunca vou entrar, outros de que sai, aos quais não penso voltar, e os que não consigo deixar.

Quartos trancados, cada um com a sua chave, as voltas na fechadura, saber como a destrancar, o jeito de abrir a porta, o puxar ou empurrar, a forma da maçaneta, ou maneira de a rodar, outros de porta encostada, entreaberta, escancarada, e um "faça o favor de entrar".

Quartos que começam, quartos que acabam, quartos que começam sem acabar, e os que acabam sem começar, em cantos, e esquinas, andares e corredores, labirintos confusos de quartos que já foram, que já não consigo contar, os quartos que hão-de vir, e os que ficam a faltar.

Quartos e quartos mais tarde, chegando ao último andar, fica o maior de todos os quartos, aquele com vista para o mar. Vou-me nele deixar ficar, deitar, dormir e sonhar que o teu coração guarda um quarto assim para mim, tão grande quanto este, onde no meu te guardo a ti.

for V.
Free counter and web stats