The Prestige

Para verem a facilidade com que me apaixono, posso-vos dizer que os Coldfinger apresentaram o Supacial em Junho, e o Sagres Surf Fest foi em Agosto, o que quer dizer que o que aconteceu e não aconteceu com a sofia, foi entre Maio e Agosto de 2007. Temos de saltar um ano e meio até o proximo nome aparecer na minha vida, o da Vero.

Começámos a falar no inicio de 2009, eu em Lisboa, ela em Washington. Em Abril decidi que era distância a mais e fui ter com ela. Passamos duas semanas de sonho, ou eu passei, e quando me vim embora estava convencido que tinha encontrado algo pelo qual valia a pena lutar, e ela ajudou a convencer-me que sim.

Quando cheguei a Portugal, comecei a tratar de arranjar maneira de voltar para ao pé dela, ainda voei de surpresa para a ver um fim-de-semana de Junho, mas ela já não me quis ver e mesmo antes de eu me conseguir mudar, mudou ela de ideias, e foi andar com outro tipo qualquer. Morei 6 meses em D.C., nunca mais a vi.

E não fez mal. Pouco depois conheci a Lacey. Começámos a namorar 15 dias depois de nos conhecermos, e fomos morar juntos 15 dias depois de começarmos a namorar, e fomos bue felizes, ou eu fui, ela pelos vistos não tanto. No inicio de 2010 eu voltei para Lisboa, e a Lacey veio estudar para Canterbury. Duas semanas depois de chegar a Canterbury, mandou-me um mail a acabar comigo (é sempre por email, ou sms, nunca me guardaram muita consideração). Acontece que eu estava a 3 paises de distância, e eram quilometros demais para rivalizar com um Frank, só duas portas abaixo.

Ainda voei para Londres algumas vezes para tentar encurtar a distância, e consegui de todas a vezes que lá estive, mas chegava sempre a altura em que tinah de me vir embora, e ele continuava lá. Ele acabou por ganhar. Eu fiquei para morrer, e ele ficou com ela.

O nome que falta, foi ainda agora, já este ano, ferida por demais recente para eu querer falar nela. Fiz 8000kms de coração nas mãos para lho dar, e assim que o teve, deitou-o fora, quis outras coisas, outros rapazes que não eram eu. Sempre fui descartável.

E assim se fecha o circulo dos meus problemas, ao tentar perceber também nisto, o que é que eu fiz mal todo este tempo, onde é que eu falhei todas estas vezes, o que é que há de tão errado comigo que faz todas as raparigas que eu amei, acreditar que vão ser tão mais felizes com outro rapaz qualquer que comigo, quando eu nunca as tratei abaixo de princesa. Todos os meus esforços, a minha dedicação, todo o meu amor nunca chegou para alguem me querer. Houve sempre alguém melhor, que por norma nem se esforçou para as ter, e que elas quiseram mais que a mim. Aparentemente tão melhor que um "por agora com ele" supera um "para sempre comigo". Sabem? É dificil gostarmos de nós quando aquelas de quem nós gostamos acham tão mais facil de gostar de outro tipo qualquer.

Queria ter encontrado algo de errado, algo que eu fizesse tão notoriamente mal para o conseguir corrigir e me salvar deste fim que dá cabo de mim, e não encontrei, mesmo os meus defeitos, e são uns quantos, não são mais feios que os de ninguém. Cheguei até a perguntar-lhes, a pedir-lhes ajuda para tentar perceber e fazer melhor da próxima vez, e nenhuma delas me ajudou. "Não fizeste nada Zé", "foste perfeito", "sei que não vou encontrar outro rapaz como tu", "és o rapaz que toda a rapariga sonha encontrar", todas as tradicionais coisas que se dizem a quem não queremos mais. "Tenho a certeza que vais fazer alguém muito feliz" ... só não vai ser a mim, que tenho outros planos com outros rapazes, que não te incluem a ti.

O meu problema afinal, é a minha dedicação que é imensamente grande, a minha entrega que é por demais desmedida, o meu gostar excessivamente carinhoso, é o meu amor que é demasiado eterno, os meus planos a dois muito "para sempre", querer casar, os nomes das filhas, credo! E elas têem razão, devem ter não é? Afinal, elas estão com alguém, alguem está agora com elas, e eu continuo sozinho. O meu mal está em dar o meu melhor, e não conseguir (ou querer) dar menos, a quem é o meu tudo. E se acho que não estou a fazer nada mal, não posso mudar, resta esperar que chegue alguem que reconheça o que de bom há em mim e me dê valor, para quem tanto amor não seja assutador, a quem "para sempre" não soe assim tão mal.
Free counter and web stats